segunda-feira, 22 de maio de 2017

O tempo que passou


no post abaixo corria o ano de 2003. Estávamos no Grécia debaixo de um calor tórrido. Vocês viviam cá em casa. Passámos por lá uma semana cheia de emoções. Aprendemos e conhecemos um mar que nunca esquecemos. 
Por essa altura, quase não tinha tempo para pensar em mim! Insegura e ingénua mas tentando sempre vencer os medos e os temores. Vocês eram a minha força. A minha energia.
Depois numa manhã de Setembro partiu o Miguel! Foi à procura de uma vida independente, mas o vazio que deixou por cá nunca se cobriu com nada. 
Três anos difíceis  se passaram e disse adeus o André. Também ele se foi para a cidade grande e levou o piano com ele. Dizia que lhe fazia falta! E a mim? Que me levantava com ele às 6,30h da manhã para o ouvir tocar nos treinos longos que eram necessários. Embrulhada numa manta pressentia que ainda teria saudades desses tempos. E tenho!Voltavam muitas vezes até que as leis da vida, como tudo tem de ser, os atarefou nos tempos livres. Não me queixo porque os sei felizes e amados  e  isso basta-me. 
Nunca os quis para mim porque nunca seriam felizes desse modo. Quero olhar só de vez em quando para os olhos deles e pressentir que tudo o que lá tentei colocar ainda lá está. Nada mais. 
Os triunfos deles sabem a mel e ver o modo como amam e são amados e demonstram os seus sentimentos  descansa-me.
Chegou então o tempo de pensar em mim. De ter tempo para mim. Já sem tanta garra e com metade da vontade mas vamos conseguindo. Novas etapas, novas rotinas mas acima de tudo  um amor lindo, pequenino que me enche a alma.
Tudo muda. tudo gira, mas continuamos os nossos caminhos. Que os vossos sejam sempre felizes meus filhos.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

E depois há aqueles dias


em que sentes que criaste dois seres humanos fantásticos e te enches de auto estima porque o conseguiste sem saber muito bem como o conseguiste. Sabias umas coisas de educação mas eras tão nova! Tão inexperiente! Eles devolvem-te tanta coisa, sabem fazer tanta coisa que tu não sabes, ensinam-te um novo mundo  tão diferente e sabes que estes  dois seres especiais gostam de ti!
Há dias assim. em que o amor por eles  se sente mais e sai para fora de nós.
Sei que fica mal, que é foleiro, que soa mal, mas paciência. É o que sinto!

Done


Sentimento de dever cumprido. Tão bom! Arrastava há imenso tempo esta tarefa. Pela chatice que era e pelo sono que me atingia todas as noites. Hoje acabei. Faltam só pequenos pormenores.
Depois olho para a montanha de folhas à minha frente e ainda consigo interrogar-me incrédula: Fui eu que escrevi isto tudo? Tudo mesmo?
Penso que já está quase tudo. Agora são os pormenores.
Boa!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Falta ainda algum tempo

Mas eu adoro planear viagens, locais a visitar, pesquisar e saber a história dos locais. 
Carro alugado. Assim podemos ver mais em menos tempo e de uma forma mais confortável. Falta o passaporte que parece ser necessário e não me quero aborrecer logo à chegada. 
Estar com família alargada com queridos sobrinhos em data tão importante faz-me sentir feliz. 
Até final de Maio nada me pode distrair mas depois,,, vou conseguir ser fútil até querer e me fartar! Faz falta!
Pensar o que vestir, o que calçar, o que falta ainda adquirir, os pormenores que farão a diferença, as unhas, o cabelo e por aí fora.
Gosto disso!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Tudo muda, tudo sempre a girar


Deve ser isso viver. Adaptar-se às mudanças, aos tropeços, aos acontecimentos com os quais nunca nos confrontámos e não sabemos resolver. Vale a experiência acumulada mas, por vezes, não é suficiente.
Gostava de saber sempre o que dizer e fazer. Não ter dúvidas,  saber sempre qual o meu papel e o que esperam de mim. Estou tão longe, tão dispersa, tão emaranhada que a única coisa a fazer é seguir a minha consciência e os antigos conselhos de meu pai. SEGUE O TEU CORAÇÃO!
Cá vou seguindo Pai! Obrigada por todo o teu amor que me ensinou que estar atento e amar incondicionalmente  nem sempre é sinónimo de grande ruído!


Acabou!


À segunda sinto mais a ausência. Domingo à noite ainda fica o cheiro, o som dos passos, a alegria.
Com o acordar, entra-se na realidade. Gosto muito da vossa companhia. Adorei que estivessem, dessem colo, mostrassem o vosso amor tão lindo de ver, sorrissem como só vocês sabem e me enchessem a alma.
Tudo acaba. Fica a certeza do futuro e isto me basta. 
Boa semana!

sábado, 13 de maio de 2017

Preguiça boa


Tive de ficar em casa e não voltar a Fátima hoje. Não interessa o motivo. Foi o que decidi.
Aproveitei para ver o Papa como não o tinha visto ontem. Acompanho pela televisão as cerimónias e peço. Espero sempre que tudo melhore, que Alguém considere que pode alterar alguns aspectos menos conseguidos em mim e na minha relação com os outros. Não perco a fé! Nunca!
Mesmo que nada se altere parece que aumenta a paciência para encarar os acontecimentos, a vida e as coisas e isso é muito positivo. Relativizar é a palavra de ordem.
Depois de tudo fica a mensagem do Papa - Temos mãe! Este pensamento é tão reconfortante que me inspira a ser mais confiante no futuro e na vida em geral. 
Apesar de a minha verdadeira mãe já não saber o meu nome terei sempre alguém que me acolhe nos meus dias mais tristes e me chama  a ser melhor em cada dia que passa.
Papa Francisco,  o Papa dos pequenos gestos que nos ensina todos os dias a sermos melhores  pessoas iluminou ainda mais, por algumas horas, um recinto que faz parte de mim há tantos anos e tanto me diz. 

terça-feira, 9 de maio de 2017

Organizar


Partimos sexta pela manhã. Quero estar cedo sem pressas para ter tempo de preparar a alma. 
Ontem comprámos as caixas para o lanche. Hoje foi tempo de fazer a ementa. Podia não fazer eu sei. Colocar um pão com ovo, uma laranja e já está. Mas eu não consigo! Gosto de caprichar e de imaginar  um lanche de magia num dia mágico. Gosto de toalhas xadrez de piquenique, de sol, do sentar na relva e só não levo o tacho do arroz embrulhado em jornais porque cada um levará já embalado o seu próprio lanche para se tornar mais fácil. 
Amanhã vou sondar os melhores rissóis e empadas para encomendar. Não esquecer! 
Fruta lavada que sabe sempre bem. Mais umas surpresas que não se estraguem com o calor!
Quase tudo pronto! 
Depois disto tudo há-de acontecer a emoção de ver O Papa Francisco!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dias de mães


Que melhor homenagem às mulheres que me moldaram que esta soberba foto?
Tem a idade da minha irmã mais velha. Pelo traje devia ser o baptizado dela. A primeira filha! O começo da nossa família nuclear.
 Ao colo da minha mãe que me lembra tanto o meu filho mais novo! Tão nova e bonita a minha mãe! Tantas saudades dela assim! Logo ao lado, querida avó Glória que me ensinou tanta coisa,  me deu tanto mimo, tanta atenção e tanto amor que seria impossível não me emocionar quando penso nela. Vejo muitas coisas dela na minha sobrinha e sempre que o vejo me emociona. Mulher inteligente que soube levar  a vida difícil de uma forma leve. Pelo menos foi o que quis que ficasse dela e conseguiu.
À esquerda, a bisavó Rita que eu não cheguei a conhecer. Morreu na véspera de Natal e eu nasci no Fevereiro seguinte. Diziam dela ser uma óptima pessoa, muito atenta e meiga e o abraço que dá à nora demonstra isso mesmo. Deram-se sempre muito bem e estiveram sempre muito próximas.
O que me emociona nesta foto?  A projecção das mulheres da família no novo ser, a proximidade entre elas, esta família alargada que todos incorporava e a todos amava de igual modo.  
O olhar atento e maternal de todas elas para o bebé que sabem ser responsabilidade de todas criarem e amarem. 
As mulheres são mesmo especiais. As da minha família são autênticas heroínas! Perdoem a imodéstia!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Fim de semana


E é isto! Mais nada!  Esperando ansiosamente Papa Francisco! Nem eu percebo bem porquê!
Bom fim de semana.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Ver a vida por meses


Mês  de Maio - ver o Papa Francisco e participar nas celebrações. Tão bom! Final do mês - pôr-me  à prova e melhorar (talvez) a auto-estima.
Mês de Junho - As duas mulheres mais importantes da minha vida fazem anos. Aquelas duas que me ensinaram tudo o que sei e que sou. Vai haver festa e vai ser muito bom.
Mês de Julho - Uma viagem para o casamento de querido sobrinho. Um tempo com toda a família que anseio enormemente. Vai ser muito bom.
Mês de Agosto - duas semanas de férias ainda não programadas. Umas ideiazinhas  que me passam pela mente. 
Assim torna-se mais fácil levar os dias até ao fim numa altura em que me sinto imensamente cansada e dorminhoca. Final de ano e um cansaço que me começa a ultrapassar. 
Melhores dias virão.

Hoje é a ressaca


Acordei a pensar que ainda cá estavam todos. E depois pensei melhor, senti o silêncio da casa e caí em mim. 
Sei que é assim. Sei que cresceram e têm as suas vidas. Sei que Lisboa é ali ao lado mas eu tenho de trabalhar e ficar e aguentar estas saudades. 
Olho para a cadeirinha da minha neta agora já vazia e o coração aperta. No entanto, não consegui desmontá-la. Vai ficar ali à espera.
As coisas importantes na nossa vida nunca as podemos ter plenamente e para sempre. São fugazes, dão-nos tudo em momentos que se guardam e depois... pof. Volta tudo ao que tem de ser sabe-se lá porquê! Porque tenho de trabalhar! Talvez só por isso!
Hoje será necessário o dobro da coragem para começar o dia.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Casa cheia


Com a minha família. A minha neta!!! Tão bom tê-la cá, abraçá-la, cheirar o seu cabelo e sentir que o mundo está certo e podia continuar assim para todo o sempre. O seu riso, a sua inocência, a sua candura! Que emoção!
Outras emoções boas preencheram o meu fim de semana. Conversas boas e saber que aquilo que eu esperava há tanto tempo aconteceu. Sentir-me grata por estar rodeada de gente boa, de gente capaz de amar e de fazer  o outro feliz. 
Neste mundo de egoísmos, descobrir almas com alma são achados para festejar durante muito tempo.
Continuem assim! Boa semana!