quinta-feira, 27 de abril de 2017

Quem somos?


dizem-me frequentemente que errei a vocação. Nunca deveria ser uma mulher das Matemáticas mas uma mulher das letras porque me consideram sensível, com capacidade poética e uma certa sensibilidade e atenção ao belo que não se coaduna,segundo os que me rodeiam,  com as ciências exactas.
Eu acho que se complementam! Há lá coisa mais bela que os números? O que se sabe deles e ainda tudo o que não se sabe?
A natureza, o inexplicável, a beleza dos pormenores, o mistério da vida, tudo isto aumenta o meu lado poético, a minha visão mais abrangente do mundo e das coisas. 
É verdade que sou sensível! E que tento todos os dias esconder esta minha sensibilidade. Porque sofro com ela. Por vezes vem à tona quando as situações pessoais ou profissionais me mostram que não somos nada. Só instantes neste complexo mundo de que nada percebemos. Nem o sofrimento tem explicação quanto mais a felicidade!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Da construção da imagem


Gosto disto. De algum tempo antes de um evento começar a imaginar a imagem que quero levar comigo: extravagante, clássica, moderna, o que me apetecer na altura e esteja  mais de acordo com o meu sentir na altura,
Estou neste modo. Agora apetece-me ser romântica e escolho cores pastel (que dizem que me ficam mal), brancos nublados e uns apontamentos de cor. Vestidos com tecidos fluidos que se agitam com o vento e o andar. Cabelo às ondas. Falta o apontamento secreto. O que fará toda a diferença. Procuro no net e não encontro porque já o tenho na cabeça e tem de ser como o imaginei, Ainda tenho tempo. Sei que o vou encontrar!

terça-feira, 25 de abril de 2017

Conclusão


Não fiz metade do trabalho! A impressora estava estragada e não consegui imprimir o que necessitava. Já que lá estava, aproveitei para comprar umas revistas e entrar no supermercado para comprar ingredientes em glúten. Depois cheguei a casa e fiz um pão com farinha de arroz e enquanto se fazia, li as revistas e tirei umas ideias. 
Amanhã o serão vai ser duro!

Desafio 2


Preparar um trabalho que tem de ser feito e dito e explicado. No meu querido feriado quando só me apetecia sair por aí, almoçar num sitio giro, conversar, ver coisas novas e pouco mais. 
Aqui estou! Em frente ao computador sem me apetecer absolutamente nada começar!

Desafio 1


Começar a comer sem glúten. Hoje à noite começar a pensar nas ementas e em tudo o que necessitamos comprar na loja a granel e em tudo o que ainda temos  de aprender sobre aqueles ingredientes estranhos dentro de caixas de vidro. 
É um desafio bom que nos vai permitir ter melhor qualidade de vida.  Os estudos recentes apontam todos para isso e vamos experimentar.
 Bye bye pão de sementes! Acredito que vou aprender a fazer outro tipo ainda mais saboroso.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Remédio de fim de semana


Minha querida netinha! Que paz que traz à minha vida!

Os melhores momentos


Não têm de ser espectaculares e com fogo de artificio à mistura. Preciso só de ter calma no coração. O serão é meu. Amanhã é feriado e tenho muito trabalho pela frente mas até lá ainda faltam cerca de 8 horas. 
Viver os momentos e desfrutar do silêncio. Programar uma série de acontecimentos que vão decorrer em Maio. Gosto destas programações, de pormenores que fazem a diferença, de imaginar cenários, de me reinventar e aplicar tudo o que vou vendo e apreendendo. 
Maio vai ser um mês muito cheio de acontecimentos. Fico feliz por isso. São acontecimentos desafiantes mas o que seria a vida sem desafios? 
Vamos lá então!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Para estudar


Comprei-o ontem porque me apetece estudar a fundo esta história do trigo, do glúten, das novas modas na alimentação que eu não domino.
A ler com atenção para poder praticar cientificamente.

O Céu existe e é na sexta feira à noite!


Todo o meu corpo se acalma e a minha alma se alegra. Não quer dizer que eu não goste de trabalhar! Eu gosto!
Mas neste serão de sexta posso fazer o que me dá na real gana: encomendar comida, não fazer o que tem de ser feito, deitar-me mais cedo, ficar até mais tarde à conversa com uma amiga de longa data sem me preocupar com as horas e só sentir o prazer de conversar com alguém que entende o que digo e me completa as frases. Tem mais experiência que eu e gosto de aprender com quem tem algo para ensinar e me acrescenta alguma coisa ao meu mundo e ao meu modo de percepcionar a vida e as pessoas.
Aprender até morrer! Fazer este exercício importantíssimo de conseguir olhar de diversos ângulos e de muitos modos diferentes as mesmas acções e as mesmas reacções. Acabar por concluir que todos os seres humanos são iguais e todos passam pelas mesmas fases.
É tudo uma questão de tempo, de ponderação e de encaixar a nossa mente na realidade que nos rodeia.
Acreditar nas coisas e nas pessoas.

Hoje é dia de fazer planos


Ontem já foi mas menos a sério! Faltam poucos dias e tenho de me organizar.
Até lá vou pensando em piqueniques, em pequenos prazeres,  em pequenas vitórias e descarregar pouco a pouco o stress permanente que vive em mim.
As árvores em frente da minha janela mostram a Primavera no seu esplendor  e só isso já me deixa feliz.
Amanhã vai ser um dia muito bom.