sábado, 25 de fevereiro de 2017

Vamos então à diversão


Tenho saudades do carro, das viagens, de parar aqui e ali, ver património, encontrar caminhos novos por entre os velhos que já conhecemos de cor.
Com as melhores companhias.
Sem planos mas com todos os planos emocionais do mundo. Necessitando de mimo.

É Carnaval


Durante anos não achei piada! Era uma época que servia apenas para olhar com algum desdém quem investia em "bonecos" diferentes daqueles que somos no dia a dia. Nunca seria capaz de me mascarar ou de me deixar ver no meu local de trabalho desse modo.
Mas a idade põe tudo no sítio. Percebe-se muito melhor como nos podemos divertir, aproveitamos muito bem todas essas oportunidades e deixamos de dar importância à maioria das coisas fúteis porque tudo fica centrado no essencial da vida.
E sim! Gostei de fazer o meu papel no baile de máscaras de ontem à noite.
Foi muito divertido! 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

E já é 5ª feira!


Depois da aula de zumba, resta esperar pela fome que tarda em aparecer depois do exercício físico, Fazer umas coisas que já deviam estar feitas ontem e, finalmente, sentar-me no sofá para relaxar.
Doem-me os pés, as pernas, enfim, o corpo todo. Dançar como se não houvesse amanhã. Gosto de zumbar e de descontrair.
 Dançar e abandonar o corpo à dança. Este corpo sempre tão contraído, pouco mimado e aceite por mim, liberta-se por instantes e isso traz uma  boa sensação. Acredito que encontre mais espaço lá mais para a frente para se assumir em pleno!
Comecei com três dias na semana. Vamos ver se consigo aumentar o tempo sem grades do meu corpo.
Todos os dias um bocadinho mais! É uma boa sensação!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

A gentileza não é só para os outros


Devemos acima de tudo ser gentis connosco. Trabalhei duramente todo o dia. Não tive hora do almoço.  Resolvi mil e uma questões que me foram colocadas. Algumas delas ainda ficaram para amanhã. 
Saí já de noite para ir para a aula de zumba para relaxar mas mesmo no meio do exercício tudo continua a matraquear a minha cabeça. Doem-me as pernas, os braços e a alma. 
Ser gentil comigo. Não exigir muito! 
O importante é ser o melhor possível neste dia. Amanhã talvez consiga ser diferente:

Há muito tempo atrás

quando eu ainda acreditava que havia pessoas perfeitas e mundos perfeitos, stressava com muita facilidade. Bastava pouco para me dar a a perceber que nada neste mundo é cheio de perfeição e que  apesar do meu esforço para que tudo corresse bem,tinha de viver com a imperfeição, com o desatino, com o desânimo, com a incompreensão. Tudo isso me fazia sofrer por não ter armas para viver assim. Fruto de uma educação demasiadamente imbuída de bons sentimentos, de "tens de fazer sacrifício para bem dos outros", de amor ao próximo e temente a Deus (penso eu actualmente).
Acontece que já acordei para a vida e já descobri, através de mim e dos outros, a imperfeição de tudo isto. A minha imperfeição incluída, naturalmente! Curiosamente esta descoberta trouxe com ela uma grande calma. Já não é necessário grande esforço para estar à altura. Tudo serve e tudo é permitido. Já não são necessários grandes sacrifícios de caráter porque é igual e também ninguém nota.
De modo que viver desta maneira é super relaxante. E esta descoberta, esta incapacidade de me fazer entender a mim e aos meus sentimentos perante a vida, as pessoas e as coisas deixa-me muito mais calma e muito mais feliz. Abre-se também, finalmente, a porta do poder fazer e dizer o que me dá na "real gana" como dizia a minha avó
E como dizia a minha mãe e muito bem: O que interessa na vida é a nossa consciência!

Que nada me perturbe

Porque sei muito bem quem sou, o que faço, o que quero e para onde caminho. 
Tudo o resto não tem importância. O passar dos anos ensinou-me que poucos são os acontecimentos que podem modificar o ser humano. No fundo de nós próprios sabemos muito bem o que queremos.
Fogos fátuos não me perturbam. Viver um dia de cada vez com a certeza do amor que nos rodeia.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Preparar uma viagem


Mil e um pormenores que se transformaram numa só palavra: descomplica.
E é assim que quero continuar a viver. A deixar andar. A ouvir e a fazer de conta que não ouvi. A ver e a imaginar que não vi. Porque tudo passa. E um dia tudo deixará de ter importância. A vida transforma-se em todos os dias. O que é hoje deixa de o ser amanhã. 
O envelhecer ensina-nos que  poucas coisas serão suficientemente importantes para nos tirar do rumo que traçámos. Eu acredito nisso.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Fim de semana de festejos


Na 5ª feira lanche ajantarado com um bolo delicioso. Na sexta descanso de comidas extra. No sábado um almoço especial num restaurante que adorei pela decoração, pelo ambiente, pela comida e o mais importante de tudo com uma companhia 6 estrelas. 
Hoje chegou a vez das duas meninas da família que vieram de longe para estar comigo. O almoço foi aqui no meu restaurante preferido do burgo que recomendo vivamente.
Amanhã é dia de Zumba!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Rescaldo


De um serão muito bem passado. Gostei muito. Obrigada por serem como são e por estarem comigo.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Bye bye 55!


Mais um ano passou. Talvez me sinta um pouco nostálgica. Foi um ano importante. Fui avó de uma menina linda e um novo mundo abriu-se para mim. 
Continuo todos os dias a lutar por ser uma pessoa melhor, mais tolerante, mais paciente e com pontos de vista mais abrangentes e não tão formatada pela imagem que os outros têm de mim. 
Pouco a pouco vou deixando para trás tudo o que me incomoda ou virá a incomodar. Começo a agarrar-me apenas ao que me dá prazer, ao que gosto e ao que quero ainda realizar.
Deito para longe as angústias, as chatices, as incompreensões e as ingratidões. Não vale a pena dar-lhes  valor.  Sei muito bem o que penso, o que sou, de onde vim e para onde caminho. Estas certezas  moldam a minha vida.
Venha então mais um ano!